CAMINHO NAÇÕES - WAY TO THE NATIONS

Associação humanitária sem fins lucrativos fundada pelo movimento cristão “Caminho da Graça” em 2010.

LEGIÃO URBANA XXX ANOS em BH

A turnê faz parte do projeto Legião Urbana XXX anos, que tem sido apresentado pelo Brasil inteiro desde o último trimestre do ano passado.

CAPITAL INICIAL EM BH

CD e DVD Acústico NYC traz o quarteto repaginado, em sua melhor forma técnica, tocando suas canções mais recentes de forma desplugada, sem esquecer também os grandes sucessos de sua rica história.

VISÃO MUNDIAL: conheça e apadrinhe uma criança

Integra a parceria World Vision International, que atua em quase 100 países e está no Brasil desde 1975, oferecendo benefícios diretos a mais de 700 mil crianças, jovens e adultos.

Memorial Renato Russo

O maior poeta que o rock brasileiro conheceu!

terça-feira, 5 de abril de 2016

ARREBOL

Ferve o caldeirão no fogão à lenha de Dona Sofia.
Pareço que vivo histórias que meus avôs contariam,
Próximos a uma lareira,
Numa noite escura e fria.

Veja a que pontos chegamos:
Discutem ética deturpando a verdade,
Ou deturpam a ética estuprando a verdade,
Ou somos todos um bando de bocós.

A quem interessa a ignorância?
Quanto se lucra com ela?
O nirvana do Poder...
A estupidez de todo ser.

Somos todos iguais assim:
Debatemos o que perdemos,
Ao invés de planejarmos o que queremos.
Um mórbido ciclo a caminho do fim.

Tome a hóstia da purificação,
No fim, o que se quer mesmo
É apenas mais uma dose
Da doce ilusão da autojustificação.

Pobres plebeus que sonham utopias.
São nobres guerreiros, anônimos na História.
Pobre burguesia que troca dinheiro por poder
E não percebem que a degradação está no ser.

Tempo, para se discutir o elementar,
Enquanto traças corroem a honra.
Senhores das trevas de uma guerra sem par.
Silenciosa e triste; uma grande Matrix.

Mas entre os muitos dormentes,
Transforme a indignação que sente
Em uma força que te leve a ver,
Que a tão sonhada mudança
Vai exigir mais de você
Do que de qualquer outro ser.

BH 19/03/2016

sábado, 12 de março de 2016

ENTRE ESCOLHAS

Ela correu para um beco escuro
E injetou a droga que a faz viver.
Uma rejeição natural sempre causa fortes dores,
Mas não há outra forma de abrir os olhos ao amanhecer.

Em quê nos tornamos?
Qual a essência do que cultuamos?
Entre sorrisos e mentiras...
Entre sossegos e conflitos.

O que há pra resgatar,
Se não entende o que perdeu-se?
Entre aplausos e escuridão...
Entre vaidades e virtudes.

E os dias passam em noites escuras,
Em rumos incertos.
Entre prosas e versos...
Entre caminhos e cominhos.

Mas ela nem sabe que se droga,
Mal sabe o que se tem.
Vive com seus jeitinhos,
Matando leões a cada dia.

No final dessa ilusão,
Há apenas um gigantesco desconhecido.
No final dessa chance,
Há apenas um caminho que não volta.

Em frente ao espelho ela reconhece a verdade.
Já não importa mais o que se perdeu e o que se gastou.
Importa apenas saber, o que se quer de fato, mudar.

BH 11/03/2016

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

ILUSÃO DE ÓTICA NO PAÍS DO MARKETING

- ‘Todos são iguais perante à Lei! ’
-  Quem?!
-  Todos...
-  Todos!!!!!?... Eu não!!! Quando vou a qualquer banco, uma porta me faz quase tirar as calças, pois sou suspeito de portar alguma arma ou sei lá o que! Quando finalmente passo pela porta, meu telefone toca e imediatamente um segurança me avisa que não posso conversar no celular, pois devo ser suspeito de participar de alguma quadrilha de roubo ou sequestro.... Pelo mesmo motivo também não posso usar o WhatsApp ou qualquer outro aplicativo semelhante!

Outro dia, ao entrar num supermercado, tive a sacola com um produto lacrada, a fim de certificarem que eu era, de fato, o dono daquele produto; pois era suspeito de ser um mentiroso!

Certa vez, em uma padaria, entreguei uma nota de cinquenta reais para a menina do caixa que, imediatamente, levantou a nota contra a luz a fim de certificar, de alguma maneira, que aquela era uma nota verdadeira.... Não sabia que eu era suspeito de ser um falsificador!

Já tentou pagar com cheque?!!! Putz!!!

O mesmo banco que me paga menos de 1% pelo meu dinheiro que fica lá por 30 dias, me cobrará mais de 17%, pelo mesmo período, se eu pegar qualquer empréstimo. As operadoras de cartão de crédito me cobram uma anuidade por um serviço cartelizado.

Em 12 meses, trabalho 5 meses para custear o Governo, mas tenho que pagar novamente, caso eu queira um serviço melhor e mais confiável seja na Saúde, Educação, Segurança... E no final ainda sou chamado de ‘golpista’!

O Estado é o dono da energia que uso e me cobra caro por isso. Mesmo assim eles não avançaram com nenhuma tecnologia que nos fornecesse novas fontes de energia, limpa e com melhores custos; e nem permitiu que outros fizessem. Do mesmo modo é a água que consumo e ainda devastaram rios, florestas e mares...

Ouço bandidos serem chamados de ‘Vossa Excelência’!!!

Vejo uma Justiça que julga de quatro...

Percebo a hipocrisia daqueles que sempre governaram esse país... E daqueles que sempre perpetuaram a servidão... A cultura do ‘política, futebol e religião não se discute’ nos levou a não discutirmos mais nada... O supérfluo ganhou relevância e o ciclo se tornou vicioso!

Talvez, algum dia e de fato, ‘todos sejam iguais perante a Lei’..., mas antes, cada um terá que assumir suas responsabilidades da mesma forma que reconhecem seus direitos!

Riva Moutinho 28/12/2015

sexta-feira, 10 de julho de 2015

‘DE-PREMERE’

Se possível, leia o texto abaixo com a música
"Na Laetha Geal M'oige" da Enya ao fundo.
Clique aqui para ouvir

Ela chega de mansinho e a convido para um chá.

- Não gosto de chá!
- Não importa.... Gostaria apenas de conversar com você um pouco.
- E sobre o que quer falar?
- Talvez eu queira ouvir...
- Não tenho o que falar.
- É possível absorver os dias sem perder pedaços da Esperança?!
- Não tenho essa resposta!
- Me sinto frágil com sua presença...
- Não carrego em mim força alguma.
- Mas sinto sua força.
- Isso não é uma força.
- O que é?!
- Dores...
- Eu as criei?!
- Talvez tenha criado algumas.... Talvez seja sensível a outras...
- Me sinto perdido...
- Talvez procure respostas demais...
- Se a questão fossem só as perguntas.... Já fiz o exercício de ignorar muitas.
- Não tenho conselhos para te dar.
- Não quero conselhos.... Queria entender porque você aparece sem avisar.
- Talvez queira entender mais do que consegue. Todo excesso traz consequências excessivas.
- Você é meu excesso?!
- Não procuro entender o que sou.
- Seremos amigos algum dia?
- Pareço uma inimiga?!
- A considero um Anjo Triste...
- Anjos são seres celestiais.... Não sinto que pertenço a tal classe.
- Mas não a considero minha inimiga.
- Talvez seja estranho, mas não quero lhe fazer mal.
- Não é o que sinto.
- Vou tomar o seu chá...
- Você parece indecifrável para o mundo.
- Há muito tempo o ser humano não entende muitas coisas, mas se gaba por se achar o ser mais inteligente do Universo.
- Estou tentando te entender.
- A compreensão humana não poderá me absorver.... Compreendem partes avulsas...
- Algum dia te direi ‘adeus’?!
- Você já me deu vários ‘até logo’...
- Por que você volta?!
- Vai se culpar?!
- Queria saber como manter a porta fechada!
- Desculpe.... Eu lhe quero bem.
- Não é o que sinto.
- Nem toda dor é dor realmente.
- Às vezes acho que me acostumei com você.
- Onde estão seus comprimidos?
- No chá que você tomou...
- Era isso que você queria?!
- Queria apenas que pudesse sentir um pouco do que eu sinto.
- Talvez algum dia eu lhe mostre lugares desconhecidos.
- Talvez eu queira, algum dia, conhece-los...
- Preciso ir...
- Há tempos você não vai embora. Irá agora?!
- Difícil dizer.... Estou sempre por perto.
- Talvez seja isso que me fez chama-la de ‘Anjo’.
- Não tente entender tudo e todos.... Não tente consertar o mundo com as próprias mãos.... Não perca os momentos da vida...
- Está me dando conselhos?!
- Não.... Estou apenas lhe mostrando que por mais que eu pareça forte, ainda sou vulnerável.


Assim, ela se levantou calmamente e antes que atravessasse o portão, perguntei: “Qual o seu nome?” Ela parou.... Olhou as estrelas... E por um segundo vi seu olhar perdido no horizonte. “Importa?!” Perguntou e foi-se sumindo na escuridão.

BH 09/07/2015

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

ELA

Ela tem sonhos adolescentes que se perderam no tempo,
Canções que ecoaram por mais tempo do que se podia pensar.
Corre por labirintos sem paredes
E ainda não se encontra diante de tudo o que há.

Um tempo por um beijo,
Um beijo por alguns momentos.
Razão que a insanidade justifica
Em cores que não brilham.

Um jeito suave, uma voz doce.
Ela descobre sobre si própria menos do que gostaria
E percebe que a vida será pouco pra se entender tanto.
Em um mundo onde todos estão tentando apenas o melhor pra si.

Um amor perdido,
Um amor roubado,
Um coração partido,
Desejos insanos.

Gritos soam longe mesmo silenciosos.
Barreiras que se espatifam, mas permanecem intactas
Lógica que não se explica
Tempo que não se mede.

Mais um copo... Um outro sabor.
Mais uma dose... Da mesma bebida.
Um outro dia para um mesmo sentimento
Um mesmo sentimento para um outro momento.

Riva Moutinho, 03/03/2014

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...