domingo, 5 de junho de 2011

Há exatos 20 anos, Skank fazia seu primeiro show

Depois de exatos vinte anos de uma carreira de sucesso é até estranho pensar que o primeiro show do Skank, promovido no dia 5 de junho de 1991 em São Paulo, tenha sido um fiasco. Mas o motivo da presença de apenas 37 pessoas na casa de shows definitivamente não teve nada a ver com a qualidade da banda e sim com um infortúnio: a data coincidiu com a final do Campeonato Paulista. Prova disso é que, depois da estreia, a banda trilhou um caminho sólido na música brasileira e, além de lotar estádios em todo o Brasil, já levou turnês a países como Argentina, Chile, Estados Unidos, França, Alemanha, Itália, Suíça e Portugal.

A história do Skank começou, na verdade, com outra banda, a Pouso Alto. Formada por Samuel Rosa, Henrique Portugal e os irmãos Dinho e Alexandre Mourão, foi ela quem recebeu o convite para o show na capital paulista. No entanto, algum tempo antes da data marcada para a apresentação a Pouso Alto acabou e o empresário Fernando Furtado - que acompanha a banda até hoje - acabou levando o novo grupo de Samuel e Henrique, agora com Lelo Zaneti e Haroldo Ferretti.

Apesar do crescente reconhecimento em Belo Horizonte, com o lançamento independente do disco Skank, em 1992 - relançado posteriormente pela Sony - foi apenas em 1994 que a banda ganhou projeção nacional, com o álbum Calango. As canções É proibido fumar, Te ver, Pacato cidadão, Esmola e Jackie Tequila cairam rapidamente no gosto do público e o grupo passou a fazer shows em outros estados. Calango vendeu 1,2 milhões de cópias.


Mas 1996 foi, definitivamente, o ano do Skank. O lançamento de O Samba Poconé, com o hit Garota nacional, fez com que os mineiros se tornassem conhecidos fora do país. A música chegou, inclusive a liderar as paradas na Espanha. Outro fator que faz com que o disco seja tão lembrado é a participação do francês Manu Chao em três canções - Sem terra, Los pretos e Zé Trindade.

o contrário do que acontece com a maioria das bandas que atingem grande sucesso, o Skank conseguiu consolidar sua carreira durante esses vinte anos de história, lançando a cada álbum hits como Resposta, Saideira, Balada do amor inabalável, Acima do sol, Dois rios e Ainda gosto dela. Discos foram mais oito, além dos três lançados antes de 1996. (Siderado, de 1998, Maquinarama, de 2000, MTV ao Vivo em Ouro Preto, de 2001, Cosmotron, de 2003, Radiola, de 2004, Carrossel, de 2006, Estandarte, de 2008 e Multishow Ao Vivo - Skank no Mineirão, de 2010)

Comemorações

Para comemorar os 20 anos de carreira da banda será realizada em Belo Horizonte uma exposição com as primeiras fotos do grupo, feitas pela fotógrafa Paula Fortuna, na época ainda estudante de comunicação social da Puc Minas. A mostra será aberta no próximo dia 9, às 19h30, no BH Shopping, e vai reunir 14 fotografias.

Além de uma exposição, o Skank pretende relançar no segundo semestre de 2011 o álbum O Samba Poconé, de 1996. Em entrevista à Roling Stone Brasil, Samuel Rosa revelou alguns detalhes sobre o disco. "Queremos colocar alguma sobra de estúdio e talvez lançar também um DVD falando um pouco sobre como foi na época, com imagens que temos daquele período", disse.

Curiosidades sobre a banda

-A gravadora Sony Music lançou, em 1997, a compilação Soundtrack For a Century para comemorar o seu centenário. Garota nacional foi a única canção em língua portuguesa incluída no disco.

- O Skank ganhou, por dois anos consecutivos, 1996 e 1997, o Astronauta de Prata da MTV no VMA'S, em NY. Os trabalhos premiados foram os clipes de Garota nacional e É uma partida de futebol.

- Em 1998 a FIFA incluiu É uma partida de futebol no disco oficial da Copa do Mundo.

- Em 1999 participou de um tributo de grupos sul americanos ao The Police. Foi gravada a canção Wrapped around your finger.

- O Skank foi o primeiro grupo brasileiro a ter um álbum lançado em formato digital. Patrocinado por um fabricante de telefones celulares, o grupo lançou um aparelho com o álbum Carrossel completo e o vídeo de Uma canção é pra isso, em outubro de 2006.

- Os discos da banda ganharam edições norte-americanas, italianas, japonesas, francesas e em diversos países ao redor do mundo.

Principais apresentações internacionais:

- Super Bock/Super Rock 1997 em Portugal (com Echo & The Bunnymen)

- Páleo Festival 97 na Suíça (com Jane Birkin, Jamiroquai e Placebo)

- St Gallen 98 na Bélgica (com Beastie Boys, Foo Fighters e Garbage)

- Montreux 2001(com Beck, PJ Harvey e George Clinton)

- SummerStage 2002 em NY (com Sonic Youth, Cornershop e Jack Johnson)

- Roskilde 2003 na Dinamarca (com Coldplay, Blur e Queens Of The Stone Age)

- Sudoeste 05 em Portugal (com Kasabian e Oasis).

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...