sábado, 26 de dezembro de 2009

FLORES NA CHUVA


Tenho uma probabilidade de te encontrar na próxima estação
De reconhecer seu sorriso
De entender um pouco as circunstâncias
Em meio ao medo da possibilidade de te perder.

São quatro da manhã
E as flores lá fora estão molhadas
Apesar de não entender como é complicado estar junto
Bem como é tão complicado estar só.

Sei que, às vezes, não me entendo.
Sei que, às vezes, te faço mal.
Mas acredite, não é por mal.
Quase sempre fazemos o que menos queremos.

Perfumei nosso quarto com lavanda
E espalhei rosas pelo chão.
Talvez as velas acesas expliquem o que sinto.
Quem sabe elas traduzam o que ainda não expressei.

É difícil estar bem
E em confiar em alguém.
Ainda estou sem algumas respostas
Mas tente entender.

Somos nós e o pouco que nos resta
Somos tudo e o pouco que nos pertence.
Sou as flores e você a chuva
E o sol virá ao amanhecer.

Alguém só pertence a você quando você entende que alguém pertence a ninguém.

Riva Moutinho 18/12/2009

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...