terça-feira, 2 de junho de 2009

Compartilhando uma pequena reflexão...

Todos se afastam quando o mundo está errado
Quando o que temos é um catálogo de erros
Quando precisamos de carinho
Força e cuidado
Este é o livro das flores
Este é o livro do destino
Este é o livro de nossos dias
Este é o dia de nossos amores.

(música “O Livro dos Dias*” – Renato Russo)


*A música “O Livro dos Dias” é a última música do último CD chamado “A Tempestade ou O Livro dos Dias” lançado pela Legião Urbana poucos meses antes da morte do Renato.

Não gostaria de escrever muito... apenas compartilhar o que me veio hoje enquanto ouvia este CD da Legião Urbana e dirigia pela estrada BH/Congonhas(MG)/BH.

A vida é cheia de momentos, de dias maus e bons... e que bom que seja assim pois tal “ciclo” nos faz refletir durante nossa caminhada. Permite nos conhecer mais, nos entender um pouco, permite conhecer o outro e também entendê-lo um pouco mais. E talvez os momentos em que mais sentimos as necessidades e carências dos outros sejam justamente os momentos em que nos sentimos necessitados e carentes.

E enquanto refletia percorrendo as curvas e retas da BR 040... dois trechos bíblicos me vieram também a mente:

O versículo 10 do salmo 27: “Porque, quando meu pai e minha mãe me desampararem, o SENHOR me recolherá.”

E uma parte do Salmo 139:

“SENHOR, tu me sondaste, e me conheces.
Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento.
Cercas o meu andar, e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos.
Não havendo ainda palavra alguma na minha língua, eis que logo, ó SENHOR, tudo conheces.
Tu me cercaste por detrás e por diante, e puseste sobre mim a tua mão.
Tal ciência é para mim maravilhosa; tão alta que não a posso atingir.
Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face?
Se subir ao céu, lá tu estás; se fizer no inferno a minha cama, eis que tu ali estás também.
Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar,
Até ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá.
Se disser: Decerto que as trevas me encobrirão; então a noite será luz à roda de mim.
Nem ainda as trevas me encobrem de ti; mas a noite resplandece como o dia; as trevas e a luz são para ti a mesma coisa;
Pois possuíste os meus rins; cobriste-me no ventre de minha mãe.
Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem.
Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra.
Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia...”


No extremo do abandono... ainda que sejam pessoas tão próximas e extremamente importantes, Ele, de antemão, ali está...

E se o mundo inteiro se afasta, não há lugar que eu não possa encontrá-lo...

E nem parte alguma minha lhe é desconhecida...

E nem lugar que eu possa me abrigar diferente dos braços Dele...


I’m safe...
You’re safe...


Riva Moutinho
02/06/2009

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...