segunda-feira, 27 de outubro de 2008

CONTANDO OS DIAS



Estou contando os dias
Entre todos os dias que não existem para lembrar
No meio de tudo aquilo que poderia existir.
No curto intervalo de tempo entre a realidade e a ilusão.

Dirijo meu carro na contra-mão,
Escalo montanhas pra me desafiar
Me atiro no meio do nada pra mostrar que não preciso provar,
Nem mesmo pra mim, o que penso sentir.

Não sei quando a loucura passou a ser mais provocante que a realidade
Sei apenas que o tempo passa
Tão rápido que a gente não consegue perceber
Que entre todas as aventuras, há aquelas que congelaram no tempo.

Amigos se foram... Amigos vieram...
Abraços amargos... beijos não dados...
Na magia de ter a estrela que se perdeu
Não se pode encontrar quando a si mesmo se perdeu.

Às vezes falo coisas sem nexo
Pra quem procurar entender este é o fim,
E entre tantas letras o que existe é apenas terapia
E uma eterna vontade de receber a cura após o ponto final.

Estou tentando apenas seguir os passos
Estou tentando ser o que melhor posso ser
Passando os dias tentando entender
A lógica de uma falta de senso desumana.

Estou contando os dias do fim
Talvez na crença da idiotice que possa ser melhor
Viver lá o que aqui não foi possível estabilizar.
Estabilizar o que a fé apenas acreditou.

BH 13/10/2008

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...