terça-feira, 26 de agosto de 2008

ENTRE AS COISAS QUE HÁ


Não sei mais o que dizer
E nem como entender.
Nem todos os caminhos nos levam
Pra onde gostaríamos de estar.

Talvez pareça insatisfação,
Mas é só cansaço
De alguém que viveu intensamente
Todos os momentos que passou.

Não sei se consigo falar
Quando a mente é apenas um vazio.
Às vezes me vejo assim,
Mas são apenas dias diferentes.

Eu tento ser feliz.
Esta parece ser a utopia de todos nós.
Pior é quando conseguimos
Magoar os que estão mais próximos.

Tenho uma sensação
De já ter falado tudo o que queria.
Não sei se é repetição
Falar sobre tudo o que sentimos.

E veja esta história
Que alterou o seu final incerto.
Há sempre um caminho a percorrer
Quando há sonhos a alcançar.

Mas não me espere no próximo ponto
Tudo o que existe parece muito estranho
Tenho que escolher a todo instante
Entre o par e o ímpar.

Não sei se consigo explicar
E talvez nem queira tentar
Por vezes uma razão
Enlouquece mais que uma paixão.

Vire na próxima esquina que encontrar
Mas ainda não estarei por lá.
Se todos têm suas próprias vontades
Então sempre há vontades a saciar.

Não sei mais o que lembrar
Se o caminho segue em frente.
Se eu andar a mais de 100km/h
É pra sentir o vento em mim.

Entre o pouco de tudo o que sobrou
Há histórias pra contar
Há lições a ensinar
E sempre haverá... palavras pra escrever.

BH 26/08/2008

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...