sexta-feira, 7 de maio de 2010

EU INDICO:

CD "Renato Russo Duetos", mas...

Bom, primeiramente, não sou crítico de música, sou apenas consumidor. Não gosto de falar mal do trabalho de alguém, afinal é um trabalho, né. Só abro exceção para o NXZero. Putz!! De onde saiu aquilo.

Mas vamos ao assunto principal. O CD "Renato Russo Duetos" lançado no último 27 de março, quando Renato (se vivo) completaria 50 anos. Do cantor, acredito que não tenho nada a acrescentar afinal é um grande gênio da música brasileira e, sem dúvida o último grande poeta do rock do Brasil. E não teria o que acrescentar mesmo, uma vez que o material lançado pela EMI não traz nenhuma obra nova do compositor. Desta forma a análise do CD fica por conta exclusivamente da produção e, nesta parte, a EMI e o Marcelo Fróes pecaram em alguns pontos. Ao menos na minha opinião.

O encarte e capa do CD está sensacional com exceção da foto interna do Renato Russo. A foto é da época do CD Equilíbrio Distante e mostra um Renato puxando uma suposta corda que agora, ao invés dos jovens saradões, vem uma penca de nomes que são aqueles que compõem os duetos no CD. Esquisito.

Entre as músicas o que mais há são gravações já lançadas em outras épocas como "Mais uma Vez" com 14 Bis, "A Carta" com Erasmo Carlos, "A Cruz e a Espada" com Paulo Ricardo e "Cathedral Song" com Zélia Duncan. Há também raridades já conhecidas como "Só Louco" com Dorival Caymmi, "Esquadros" com Adriana Calcanhoto, "Nada por Mim" com Herbert Vianna e "Summertime" com Cida Moreira.

As demais músicas foram duetos criados no ano passado utilizando gravações antigas da voz do Renato. E foram justamente nestas em que deu uma saudade grande da produção do Carlos Trilha que não participou a não ser da faixa "Celeste", o embrião original de "Soul Parsifal" lançada no último disco da Legião Urbana com Renato ainda vivo; "A Tempestade".

Dos duetos criados, Laura Pausini tentou fazer algo com "Strani Amori" e o produto final ficou bem esquisito. Esquisito também foi o imbróglio de Célia Porto em "Come Fa Un'Onda" onde ela canta em português com o Renato no italiano. Bem fez Leila Pinheiro que não inventou em "La Solitudine" com exceção do final da música.

A música que arrepia os pêlos é "Vento no Litoral" onde juntaram a voz do Renato com a de Cássia Eller e pareceu-me ouvir o céu cantando. (Eita! Como vocês fazem falta por aqui!).

Finalizando, Caetano Veloso matou a pau em "Change Partners" e a mais fantástica ficou sendo mesmo o dueto com Fernanda Takai (Pato Fu) na primeira faixa do CD que é inclusive a música de trabalho: "Like a Lover"

Apesar de tudo, o CD "Renato Russo Duetos" vale a pena ter em casa. Mas o que fica mesmo é a saudade incrível deste grande gênio da música brasileira e sua incomparável voz.

Salve Renato Russo!

2 comentários:

  1. Realmente vê-se que não entendes nada mesmo. Sua opinião é triste, pois exatamente o que você gostou ouras pessoas não gostaram. Você é pessoa esquisita.

    ResponderExcluir
  2. Célia, sou da opinião que cada um deva ter a sua própria opinião e que nem sempre uma maioria demonstra, de fato, se algo é bom ou ruim.
    Por isto respeito a sua opinião como um todo, ou seja, tanto no que diz respeito ao que escrevi, quanto ao que diz respeito a minha pessoa.
    Até mesmo porque, tenho que aquele que não se acha esquisito, esquisito é. (rs)
    Todo sucesso profissional a você!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...